Países ricos não podem apropriar-se do que é dos países pobres

Maio 30, 2008

Num discurso aos novos embaixadores na Santa Sé de nove países (Tanzânia, Uganda, Libéria, Chade, Bangladesh, Belarus, República da Guiné, Sri Lanka e Nigéria), quinmta-feira, 29 de Maio, o Papa Bento XVI apelou  a que as relações internacionais se baseiem na justiça, na solidariedade e na fraternidade.

«Os países ricos não podem apropriar-se, por eles mesmos, do que procede de outras terras», advertiu em sua alocução em francês.

«A comunidade humana também está chamada a ir além da simples justiça, manifestando sua solidariedade aos povos mais pobres, com a preocupação de uma melhor distribuição das riquezas».

Segundo o Santo Padre, «a solidariedade e a fraternidade revelam, em definitivo, o amor fundamental que devemos dispensar ao nosso próximo, pois toda pessoa que tem uma responsabilidade na vida pública está chamada a fazer que sua missão seja, antes de tudo, um serviço a todos os seus compatriotas e, mais em geral, a todos os povos do planeta». LER MAIS (em francês)

Anúncios